dimanche 4 mars 2012


The love never dies - a vida ao nosso lado

Mais um dia que chegas-te a casa, pousas-te as chaves e tiras-te o caso. Mas desta vez algo estava diferente, não vieste à minha procura, esperaste que eu fosse ter contigo. Estranhei logo esse teu comportamento, nada habitual. Vi-te sentado no sofá com uma rosa na mão, depressa cheguei ao pé de ti, e te olhei fortemente nos olhos. Sorris-te. Um sorriso doce, meigo, logo suspirei de alivio, os teus sinais, fez-me perceber que estava tudo bem. Estavas exausto, notavasse pela tua cara que o teu dia tinha sido bem duro. Ajoelhei-me para te dar um beijo, e um carinho, logo aseguir me passas-te a rosa vermelha, encarnada forte, para as mãos, e me sussurraste " sabes que te amo, mulher da minha vida ". Sabes sempre o que dizer para me fazer estremecer, arrepiar, e a sensação de borbuletas no lugar do coração. Saltei para tras de ti, tirei-te a camisola, e levemente massajei-te as costas, para que esse teu ar cansado, se fosse. Parei, levantei-me e puxei-te pela mão, encostando o teu corpo ao meu. Pus-me em bicas de pés e com alguma dificuldade, beijei-te a testa. Um beijo sereno, calmo, apaixonado..  Entrelacei as tuas mãos nas minhas, e fomos assim até ao quarto.
not even for a second would I lie to myself. too many things are missing and there's a tear in my eye. it's not a question or an answer, but it will change your mind. we'll be the same tomorrow, we're dancin' as we borrow and sing a song for sorrow