samedi 10 mars 2012

"Amor, desculpa às vezes ser mau. E ser bruto. E sei que às vezes sou estúpido. Mas és tudo. E sinto-me muito quente por dentro quando te amarro, e é por isso que ainda te abraço depois de te amarrar. E não faz mal se bebes café ou comes bolachas nojentas, os teus beijos são sempre perfeitos, aconchegantes, molhados. E sei que por vezes sou porco, desculpa também, mas nem é muito por mim, porque quando penso em ti, não penso no teu rabo, os nas mamas, penso em acariciar-te, em dormir juntos.. Hormonas estúpidas que te desejam. O que eu quero é mesmo ver-te a sorrir enquanto tás com cabeça no meu peito, porque te amo tanto. E sei que estás a passar por momentos difíceis e que vamos passar também, mas quero-te para todo o sempre, porque sem ti fico vazio. Como um peluche, eu sou o pano e tu és o enchimento, e sem enchimento o peluche não fica fofo. E vamos tentar ultrapassar todas as barreiras por cima, pelo nosso amor."



Filipe Moreira
not even for a second would I lie to myself. too many things are missing and there's a tear in my eye. it's not a question or an answer, but it will change your mind. we'll be the same tomorrow, we're dancin' as we borrow and sing a song for sorrow