samedi 11 février 2012

Era uma vez uma menina, essa menina tinha a alma doce, com umas grandes asas, e essas asas levavam-na a passear, e a refugiar-se onde ela mais gostava. A sua alma dançava, ao mesmo ritmo do movimento das nuvens. Era feliz, não tinha medos, e sabia como se sentir segura. Era uma vez uma menina, uma simples menina, com um olhar tão profundo e tocante. Uma menina natural, com uma cara branca como o açúcar e as bochechas com sardas. Não apenas existia, vivia.
not even for a second would I lie to myself. too many things are missing and there's a tear in my eye. it's not a question or an answer, but it will change your mind. we'll be the same tomorrow, we're dancin' as we borrow and sing a song for sorrow